Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Uma das formas mais comummente adoptadas pelo ser humano para homenagear determinada personalidade pelos seus feitos não é atribuir-lhe um prémio nem elogiá-la através de palavras honrosas. Quando em grupo, a opção mais fácil inventada até hoje consiste em bater violenta e ruidosamente as palmas das mãos uma na outra, tal como fariam alguns ajuntamentos de primatas famintos em necessidades fisiológicas. E quanto mais tempo durar o chocalhar das mãos, mais célebre é o destinatário aclamado, mesmo que a maioria dos prestadores da dita homenagem não tenha sequer ideia de quem foi ou o que fez a personalidade em questão. Contudo, a partir de certo ponto do processo, estes indivíduos começam a entreolhar-se, dissimuladamente, em busca sôfrega por um voluntário que ouse iniciar a cadeia de desistências. E basta um que baixe as gadanhas, assumindo-se pioneiro, para que a hipocrisia se silencie rapidamente e seja esquecida para sempre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

escarnecido às 18:27


6 reclamações

Sem imagem de perfil

De Woody a 11.07.2008 às 10:56

Muito bem escrito! Neste tipo de situações faço questão de ser a última pessoa a parar de bater palmas, prolonga o sofrimento dos outros, dá para ver até onde vai a sua resistência e é sempre bom bater 3 ou 4 palmas quando no silêncio... Também gosto de ser a primeira pessoa a levantar-me no final de uma peça de teatro, mesmo que não tenha gostado...

Reclamar





Pesquisar

  Pesquisar no Blog